O passado não reconhece o seu lugar... está sempre presente.
( Mário Quintana )
Aviso
Todos os arquivos para downloads: (músicas, livros, vídeos, etc) foram retirados para evitar problemas de violação de direitos autorais.
Para maiores informações e/ou solicitações, entre em contato, no e-mail: brux.xinha@uol.com.br ou, no formulário ao lado: (Fale com a Bruxx) --->

Brinquedos antigos - Pinos Mágicos

By Bruxx
Clique nas imagens para ampliar

Pode parecer incrível mas, muito antes da invasão dos videogames, brinquedos eletrônicos requintados, computadores, tv (com violência 24 horas)... as crianças (hoje quarentonas) se divertiam e muito.
Principalmente, nas férias de julho, pleno inverno.

Num dia como hoje, frio e chuvoso, não dava pra brincar na rua, em parques, casa de amiguinhos e campinhos de futebol.
A saída era brincar dentro de casa e, muitas vezes, sozinhos.
Nem era tão ruim e nem precisava de nada que custasse os "olhos da cara".
Pra isso, bastava ter brinquedos simples capazes de nos divertir e, prender nossa atenção, por horas a fio.

Dentre os muitos brinquedos, um dos que se destacava era o saudoso produto da Elka, "Pinos Mágicos", bem típico dos anos 70.
Pecinhas quase que insignificantes, com furinhos e pontas, que se encaixavam.
Pronto!
Era só dar asas à criatividade... dali saíam verdadeiras obras-primas (no meu caso, não).
O verdadeiro desafio era, construir os modelos, que vinham nas fotos das embalagens.
E o mais legal... meninas e meninos brincavam com eles.

Brinquedinho simples, barato e acessível para todas as classes.
Claro que eu me refiro aos que eram vendidos em feiras-livres, naturalmente.
Eram saquinhos com, mais ou menos, vinte pecinhas (apenas os pinos).
Tá, tá... tudo bem que alguns furos vinham tapados e frustrava nossas "criações"... mas, a gente dava um jeito.

Os mais caros e mais elaborados, vinham em caixas com muitas peças e outros acessórios.
Esse era para os mais abastados, "filhinhos-de-papai".
Isso, para nós, não fazia a menor diferença... íamos juntando saquinhos até termos boa quantidade, independente de virem em caixas.

Para nós uma diversão e tanto e, para nossas mães, um sossego.
Afinal esse, singelo brinquedo, nos mantinha ocupados.

Com o tempo, ele acabou sendo substituído pelo Lego, bem mais requintado... e, mais caro também.

Bateu uma saudade...!




Vassourando as lembranças do passado, desde 17/05/2007.

14 Comente aqui :

MandaKi . . . Por um mundo melhor ! ! ! vassourou...

oi...nossa como na minha época eu era feliz... e hoje...a alegria só vem se vc tiver eletricidade em casa ou internet...q droga onde esta sua maquina do tempo...vc escondeu ela me empresta...

Bruxx vassourou...

MandaKi...
Coisa boa te ver por aqui, viu.

Menino, mas não é mesmo?
Realmente, quando crianças, não precisávamos de muita coisa.
Dávamos um jeito pra tudo.
Se faltava a anergia elétrica, brincávamos de fazer sombras com as mãos, na luz das velas... e por aí vai.

A minha máquina do tempo?
Até te empresto... mas, o segredo, é ser velhinha... rsrsrs

Beijokinhas cheias de energias azuis!

Luciano Zamboni vassourou...

Nem lembrava mais deste brinquedo, era muito estranho. Sei que muitos amigos tinham isso em casa, e eu não poderia ficar de fora.

Um abraço

Bruxx vassourou...

Caro Luciano Zamboni... Era um brinquedinho estranho mesmo, mas muito divertido. Ao menos, prendia nossa atenção e despertava nossa criatividade, não é mesmo?
Obrigada pela visita, seja sempre bem vindo!

jack vassourou...

Eu brincava muito na rua mas em dia de chuva,me lembro quando minha mãe deixava eu espalhar esses joguinhos no chão quarto...eu me divertia muito!

Bruxx vassourou...

Oi Jack, tudo bem?
De fato, nós fomos privilegiados, não é mesmo?
Não precisávamos de muito para nos divertir.
Obrigada pela visita e, pelo carinho.
Beijokinhas carinhosas, cheias de energias azuis!

Anônimo vassourou...

Ainda existe. Acabei de comprar uma caixa para o meu sobrinho.

Este brinquedo tem uma boa parcela de culpa por hoje eu ser engenheiro.

Bruxx vassourou...

Caro Anônimo, como vai?
Se tornou engenheiro?
É, meu caro... a infância de antigamente, refletiu em muitas profissões.
Muitas de nossas "quarentonas", também se tornaram professoras, por brincarem de escolinha... ou executivas, por brincarem de secretária (com a maquina de escrever de papel, lembra?).
Quer coisa mais linda e gratificante do que isso?
Inocência, aliada à responsabilidade, em plena brincadeira... que máximo!
Bons tempos, bons momentos!

Grata pela visita e, por seu comentário.
Seja sempre bem vindo!
Beijo grande, cheio de energias azuis!

Anônimo vassourou...

Ola..quero saber se tem o brinquedos pinos mágicos ainda pra vender?
tenho uma irmã que Deficiente mental...e ela chora todos os dias querendo este brinquedo..ela tinha esse brinquedo mo passado,ai com varias mudanças acabaram se extraviando,ai agora depois da morte da minha mãe a 6 meses atras ela pede todo dia pra mim..não oque faço pra achar..

Bruxx vassourou...

Oi Anônimo, como vai?
Puxa, que triste.
Olha só... vou especular nos meus contatos, pra ver se encontro.
Me deixe seu e-mail, ou me escreva no: bruxx@vassourando.com

Assim, posso te informar, quando souber onde tem o brinquedo para vender.
Por esses dias, te dou uma resposta.

Obrigada pela visita!

Beijinhos cheios de energias azuis!

Rafael Spinola vassourou...

Olá, procurio aqueles carrinhos de lata (baratinhas de corrida) de 3 cm, da fábrica metalma, quem tiver me avisa tenho interesse!
Meu e-mail rspinola@bol.com.br
Abração!

A CIA vassourou...

vixi eu demorei mtoooooooo pra poder ter um pino mágico acredite mas qdo ganhei guardava como ouro!

Francisco Carlos Amado vassourou...

Brinquei MUITO com esses pinos mágicos e até guerra fiz com eles, clocando tanques da Revell junto a qualquer coisa que servisse de obstáculo ou trincheira. Usei caminhões ( da Revell, claro...) e toda a imaginação de pequenin Nerd - pois é, brinquei até os 19 anos com os pinos da ELka, El kara e alho, eh, eh,eh!
Sou um gozador e me divirto de lembrar como era DELICIOSO passar as tardes, depois da aula, brincando com esse brinquedo neurótico!
Na verdade eu os chamavam de "negocinhos" - divertidos demais! -
e montava carrinhos, robôs, casas, soldadinhos magriços (!) e pontes imensas. Ainda tenho esse brinquedo em caixas plásticas da CTB (da ex-Companhia Telefônica Brasileira) e são mais de 5000 pecinhas, colecionadas em vinte anos desde então.
Depois conheci os Hering Rasti e no fim os da Lego, legal né?
Minha infância foi de compras de CDF imaturo e BRINQUEI pacas com tudo isso e não me envergonho de ter brinado até os 19! Buá!

Francisco Carlos Amado vassourou...

Digam pra Mamãe, eu QUERO NEGOCINHOS!!! Elka, Elka, Elka!!!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails