O passado não reconhece o seu lugar... está sempre presente.
( Mário Quintana )
Aviso
Todos os arquivos para downloads: (músicas, livros, vídeos, etc) foram retirados para evitar problemas de violação de direitos autorais.
Para maiores informações e/ou solicitações, entre em contato, no e-mail: brux.xinha@uol.com.br ou, no formulário ao lado: (Fale com a Bruxx) --->

O caso Carlinhos

By Bruxx


O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando

clique nas imagens para ampliar
O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando
O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando O caso Carlinhos - Carlos Ramires da Costa - vassourando


Carlos Ramires da Costa (1963 - ????), o "Carlinhos"

Quem era criança no começo dos anos 70 com certeza viveu um pouquinho sob a sombra do “caso Carlinhos”, o desaparecimento do menino Carlos Ramires da Costa, então com 10 anos, seqüestrado no dia 2 de agosto de 1973 e nunca mais localizado.
A polícia carioca, já então tão competente quanto hoje, apresentou três diferentes “culpados”, em sucessão, mas nenhuma das acusações colou.
O pai do menino acabou se tornando o principal suspeito, e alguns anos mais tarde um sujeito que trabalhava com o empresário João Melo da Costa chegou a ser condenado pelo seqüestro (a condenação foi revertida posteriormente).
Trinta anos mais tarde, um cara de Bauru foi apontado como potencial “Carlinhos”, mas os exames de ADN não confirmaram a suposição.

Apesar de todos os esforços do governo militar pra fazer com que o país parecesse jóinha, era uma época tensa.
Mesmo para as crianças, ou talvez especialmente para as crianças, era fácil perceber que a situação não era tão sorridente quanto nos diziam.
Não é que a gente tivesse qualquer percepção política de que as coisas andavam erradas, claro. Mas os anos 70 com certeza foram uma década propensa a pesadelos.
E um caso como o do Carlinhos apertava todos os botões de pânico no inconsciente da pimpolhada. (E mais ainda entre os pais.)
Que um menino bonitinho, sorridente e descabelado como o Carlinhos pudesse
desaparecer sem deixar traço era quase como que uma confirmação das lendas urbanas que as mães de todas as eras gostam de nos empurrar goela abaixo – o bicho papão, o homem do saco, o delegado Fleury, o pessoal do Extreme Makevoer.

O caso causou comoção nacional... não sei se porque na época aconteciam menos barbaridades desse gênero, ou se porque não se podia falar sobre as outras.
Talvez a obsessão nacional quanto ao paradeiro de Carlinhos fosse uma expressão inconsciente da preocupação de todo mundo com os desaparecidos cujos nomes não podiam ser ditos.
Ou talvez todo mundo temesse e pressentisse que viveríamos para sempre à sombra de muitos “casos Carlinhos”, e que, por repetição, não nos deixaríamos abalar tanto pela futura recorrência daquele pesadelo.
Eu não sabia, então, que crianças desapareciam, que crianças vinham desaparecendo ao longo de todo o século – no genocídio dos armênios, no Holocausto, no Gulag, pulverizadas por bombas atômicas ou liquefeitas por incendiárias.
O Carlinhos me ensinou embora eu viesse a demorar mais uns 10 anos pra saber que sabia sobre a enorme precariedade de todas as coisas que quando inocentes consideramos sólidas e garantidas.
(créditos de trechos para: filthymac)
A intenção do governo militar era construir uma realidade que deveria ser difundida pelos meios de comunicação, mesmo que implicasse omissões da verdadeira "realidade".
Em 1974, Fernando Mendes sofreu a barreira dos generais graças a uma canção de seu segundo disco - Meu Pequeno Amigo -, que focalizava um caso policial polêmico da época, o seqüestro do garoto Carlos Ramirez da Costa, o Carlinhos, ocorrido na noite de 2 de agosto de 1973.

Carlinhos, então com 10 anos, assistia à televisão ao lado da mãe quando foi levado de casa sob a ameaça de um revólver de um homem negro de cabelo afro, que deixou um bilhete exigindo um resgate de 100 mil cruzeiros. 
O pai do garoto esforçou-se para arrumar o dinheiro, mas a negociação nunca aconteceu pois, depois de uma primeira tentativa, não houve mais contato dos seqüestradores e o Caso Carlinhos permanece como um dos maiores mistérios policiais do Brasil.

Fernando Mendes tratou do assunto em uma letra triste: "Sem querer você se foi / e hoje choram por você... / ...até as flores do jardim entristeceram / sentiram sua falta / morreram...
O departamento de censura liberou a canção com a ressalva de que se colocasse no subtítulo entre parênteses a informação "Tributo a Carlinhos" -  Desaparecidos. 
Quando já era tocada pelas rádios, porém, a música foi proibida. 
Motivo: em nenhuma das suas estrofes aparece o nome de Carlinhos. 
Pior: trata de um amigo desaparecido ("Digam pra mim / digam pra mim onde ele está / e o que foi que fizeram / com meu pequeno amigo?") em um momento em que diversas pessoas estavam também "desaparecidas".

Segundo o relatório do projeto Brasil: nunca mais, citado pelo pesquisador, é exatamente no período 1973/74 que se registra o maior número de desaparecidos políticos no Brasil.
"Assim, a música tocava numa ferida que o regime militar não queria ver exposta pela lente ampliadora da canção popular", escreve Paulo César de Araújo. 
(créditos do texto acima para: tribuna samba choro)

Para refletir:
"Se você pensa e age como sempre fez, vai ser o que sempre foi"
 (Mario Diotto)

Vassourando as lembranças do passado, desde 17/05/2007.

16 Comente aqui :

Anônimo vassourou...

Li um artigo sobre um "foca" do jornal O Globo q afirma ter feito a cobertura inicial do caso. O artigo em questão aponta a mae do menino como a responsavel pelo desaparecimento do menino.
Mas enfim, o q importa eh q o seu blog com esta materia me transportou para os anos 70, minha infancia e tudo q na epoca, eu ignorava estar vivendo.
Com certeza, nos dias atuais este caso mereceria uma notinha desapercebida no rodape de algum jornal.
Como vc msm afirma, a repercussão q teve talvez tenha sido o reflexo da impossibilidade de se achar tantos desaparecidos num cenario tão conturbado.
Parabens pelo espaço. Eh leve, interessante e merecedor de visitas posteriores.
Considere-se favoritado.
abs
jane almeida

Bruxx vassourou...

Jane Almeida... inicialmente, quero agradecer a sua visita e as suas palavras tão gentís.
Uma pena que não tenha deixado um e-mail de contato. Gostaria que minha resposta chegasse até você.

Quanto ao tema em questão.. de fato, houveram vários rumores sobre a suposta culpa da mãe do Carlinhos... inclusive, sobre um caso extra-conjugal, onde o rapaz não gostava de crianças. O que levantou mais suspeitas sobre o desaparecimento.

Nada foi elucidado e, ficou o "dito pelo não dito".
Na época, foi uma tristeza coletiva... não teve uma só pessoa que não se solidarizou com o caso.

Mais uma vez, obrigada e, seja sempre bem vinda.
Esse cantinho também é seu.

É um privilégio receber visitas e comentários de pessoas tão centradas e bem informadas... assim como você.

Beijokinhas cheias de energias azuis e uma excelente semana.

Anônimo vassourou...

Gostei muito " Caso Carlinhos".
nelsonrabelo32@yahoo.com.br

Bruxx vassourou...

Oi Nelson, como vai?
Que bom que gostou da postagem.
Procurei explanar ao máximo, as informações de um caso que marcou de maneira abrangente.

Grata pela visita, seja sempre bem vindo!
Beijokinhas cheias de energias azuis!

Anônimo vassourou...

E se Carlinhos estiver vivo, com outra identidade, outra família... Crês nesta possibilidade?

Bruxx vassourou...

Oi Anônimo, como vai?

Sim, até creio nessa possibilidade.
Talvez tenha sido vendido para alguma família... ou ainda, abandonado e depois encontrado por alguém que, passado tempo, ficou com medo de ser responsabilizado e não se manifestou.

Ou talvez até tenha ciência de que foi sequestrado e tenha sido acometido pela Síndrome de Estocolmo, vai saber.

No fim das contas esse mistério permanece e, a família, foi a maior vítima.

Afinal, a dúvida mata mais que a certeza.

Grata pela visita e, pelo comentário.
Seja sempre bem vindo!

Anônimo vassourou...

Me lembro perfeitamente esta época, houve rumores do envolvimento do pai d Carlinhos, que havia sequestrado o menino para estorquir dinheiro do sogro, mas enfim, naquela época eu era criança e o que ficava em mente era apenas os comentários dos adultos, não acredito que ele esteja vivo, pois se ele fosse vivo teria quase a minha idade, e me lembro perfeitamente de coisas que se passaram em minha vida dos 8 em diante.
É uma pena pois talvez esse rapaz hoje pudesse ser um grande homem, um esxelente pai, mais enfim aqueles eram tempos dfíceis para todos, e diante de tantos desaparecidos políticos o Carlinhos foi apenas mais um desaparecido neste Brasil de uma época vergonhosa para nós brasileiros.

Anônimo vassourou...

Eu tinha a idade dele na época. Eu morava em Laranjeiras e ele era meu amigo da rua. Fiquei chocado quando soube. A mãe dele não ligava pra ele e o Pai pra mim estava envolvido. A irmã mais velha teve a boca tapada pelo sequestrador e sentiu o cheiro do produto que o pai fabricava no laboratório em Duque de Caxias. Anos depois eu fui encontrar o irmão dele, o Dudu, na mesma empresa que trabalhava, mas ele não queria tocar no assunto e se afastou de mim.

ANGÉLICA FRITZ MONTANO vassourou...

HOJE ESTOU COM 52 ANOS E RECORDO MUITO BEM DO CASO.FOI BEM NO AUGE DA DITADURA.
NO ANTIGO PROGRAMA FLÁVIO CAVALCANTI ;ONDE ESTE CASO FOI MUITO COMENTADO NADA DE CONCRETO PARA UMA EXPLICAÇÃO,ATÉ NO FANTÁSTICO E NADA.HOUVE ATÉ UM INVESTIGADOR PARTICULAR QUE FEZ UMA PROFUNDA INVESTIGAÇÃO E NADA.
SERÁ QUE COM OS NOVOS MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO NÃO PODERÍAMOS TER ALGUMA RESPOSTA SOBRE ESTE CASO QUE AINDA HOJE ESTÁ SEM SOLUÇÃO?PARÁBENS PELA MATÉRIA E POR RELEMBRAR ESTE CASO TÃO OBSCURO NA ÉPOCA.PARABÉNS PELA MATÉRIA EM RELEMBRAR ESTE CASO.angelicafmontano@hotmail.com

Anônimo vassourou...

E se esse menino - hoje um homem na casa dos seus 50 anos - aparecesse hoje? Como seria? Como calcular a repercussão de alguém que retorna após 40 anos sob outra identidade?
Apenas um exercício de brainstorming...

Anônimo vassourou...

Pergunto aos internautas que lêem este espaço:

1) Se ele (Carlinhos) voltasse, como vcs acham que seria? Reação das pessoas, reação da mídia, outros desdobramentos (cíveis, penais, reestrutura da vida, reconstrução de laços familiares).

2) Como vcs gostariam de vê-lo? Ou seja, qual seria a principal coisa a se dizer e/ou achar do homem, já cinquentão, retornando 49 anos dps?

Isso é importante, por favor gostaria de feedbacks..

Bruxx vassourou...

Angélica...
De fato, esse caso mobilizou a mídia ao extremo.
Infelizmente, sem final feliz.
Concordo com você... creio que, com o tanto de recursos existentes atualmente, o caso seria solucionado.
Acho que falta iniciativa.
À quem será que interessa o arquivamento desse caso?

Obrigada pelo carinho e, por visita, seja sempre bem vinda!
Beijokinhas cheias de energias azuis!

Bruxx vassourou...

Anônimo...

1) Eu acho que, se o Carlinhos voltasse, ele viveria no anonimato.
Do contrário, ele não teria sossego.
Já cheguei a pensar na hipótese de ele estar vivo... em algum lugar que não tivesse sido abordado sobre seu suposto sequestro.


2) Eu gostaria de vê-lo com uma família constituída.
Mas gostaria, principalmente, que ele não tivesse nenhuma lembrança ou sequela.

Grata pela visita, seja sempre bem vindo!
Beijokinhas cheias de energias azuis!

Janaina vassourou...

Oi!
Hoje me lembrei do caso Carlinhos que me assombrou na minha infancia e juventude e vim pesquisar... Encontrei seu blog, e li também muitas coisas por aí. Gozado naquela época aquilo parecia um mistério meio que mal assombrado pra mim. A gente nao sabia detalhes, só que a crianca tinha desaparecido. Como foi dito, a gente como crianca tinha medo demais de acontecer com a gente.. No entanto eu, hoje, adulta, estudante de psicologia criminal à distancia por hobby, já tendo lido muitissmo a respeito, sei que nao há chance alguma de que ele nao tenha sido morto na época. O duro é pensar que alguém se safou dessa na boa.

Anônimo vassourou...

Olá leitores do blog,

Fiquei sabendo em off que vai sair um livro sobre o Caso Carlinhos... Alguém leu algo parecido?

Abs

Bruxx Mirian vassourou...

Até o momento não há nada que indique que vai sair um livro sobre o caso.
Por enquanto, trata-se apenas de especulação.
Grata pela visita!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails